Mulher adapta carrinha antiga para viajar pelo mundo com o seu cão

0

Marina Piro gosta de pessoas que sorriem sem razão aparente, de casas com movimento — especialmente de casas nas árvores — e quando crescer quer ser uma fada da floresta capaz de se sustentar sozinha.

Odie é um cão e adora perseguir e comer moscas, bem como fingir que não entende as palavras “sentar” ou “não”.

Pam é uma carrinha azul com cinco portas e janelas. Até aqui não há nada fora do normal. Até que a jovem nascida em Itália decidiu mudar de vida e partir à procura do desconhecido.

Aos vinte e poucos anos, Marina quis concretizar o sonho de viajar pelo mundo na companhia do seu cão. Ter um amigo de quatro patas impede-a, todavia, de ir muito longe nas aventuras a dois.

Não conseguia encontrar o transporte certo para levar o Odie, mas deixá-lo sozinho não era uma opção.

Depois de alguma pesquisa, decidiu que o próximo passo seria construir uma carrinha sozinha — pelo menos adaptá-la às suas necessidades.

“A principal razão pela qual escolhi viajar de carrinha foi querer ter o Odie comigo. Uma carrinha parecia ser a opção mais viável. Muitos autocarros, comboios, companhias áreas não aceitam cães, já para não mencionar as dificuldades que podes ter para encontrar um alojamento adequado.

Apesar de ser a solução mais prática, a vida numa carrinha com um cão pode ser difícil às vezes e deves considerar vários aspectos antes de te atirares de cabeça nessa aventura”. Assim foi. Em pouco tempo, uma carrinha Renault Kangoo ganhou uma nova vida e transformou-se na Pam.

A mala deixou de ser um espaço vazio para albergar uma casa em miniatura.

Desde o pavimento de vinil à instalação da electricidade, do armário que se tornou numa cozinha em menos de quatro dias – e que serve agora de despensa e fogão – até à cama, a última estrutura a ser construída em apenas dois dias.

Marina fez tudo sozinha e na página Pamthevan explica os passos que seguiu em cada um dos objectos que construiu à mão.

Agora, a jovem e o Odie têm um espaço próprio enquanto viajam e exploram estilos de vida alternativos em contacto com a natureza.

As aventuras são depois partilhadas na página de Instagram.

Pelo caminho, Marina mostra como pode ser fácil aprender a construir, decorar e reparar uma carrinha enquanto viaja sozinha com o melhor amigo, algo que “não mudaria em troca de toda a liberdade do mundo”.