in

Ronaldinho foi detido com passaporte falso, mas a polícia quis tirar selfies

Ronaldinho Gaúcho foi esta quinta-feira detido no Paraguai, juntamente com o seu irmão Roberto, por ter em sua posse um passaporte falsificado. Não se sabe ao certo por que razão o antigo futebolista brasileiro entrou no Paraguai com um documento falsificado, até porque não é obrigatório apresentar o passaporte, basta utilizar o documento de identificação do seu país, neste caso o Brasil.

O que é certo é que as autoridades paraguaias não resistiram a pedir uma fotografia com o detido, tal como os funcionários fiscais.

Passaporte usado por Ronaldinho pertence a outra pessoa

De acordo com a imprensa brasileira e paraguaia, que citam fontes judiciais, os irmãos admitiram o erro e ficaram livres do processo.

O procurador encarregado do caso, Federico Delfino, recomendou à Justiça a suspensão do processo contra os brasileiros caso estes admitissem o delito, o que aconteceu.

O Ministério Público do Paraguai declarou ainda que Ronaldinho e Roberto foram “surpreendidos na sua boa fé” o que levou à aplicação do “critério de oportunidade”, um recurso no Código Penal paraguaio usado quando o crime é admitido e os suspeitos não têm antecedentes criminais no país.

Do processo fazem parte ainda três outras pessoas: o empresário Wilmondes Sousa Lira, que a defesa de Ronaldinho acusa de ser o responsável pelos documentos falsos, e as paraguaias María Isabel Galloso e Esperanza Apolonia Caballero, que segundo o MP seriam as verdadeiras detentoras dos documentos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Governo aprova! Alunos do Profissional sem exames nacionais no acesso ao Superior

Cão mantém o rosto perfeitamente limpo apesar de ter o corpo coberto de lama