in

Cidadão russo “engana” banco ao alterar condições do contracto do cartão de crédito

Cidadão russo “engana” banco ao alterar condições do contracto do cartão de crédito

Quem é que nunca recebeu uma carta a impingir cartões de crédito? Provavelmente, o que ninguém fez foi trocar as voltas ao banco, como conseguiu um homem russo.

Dmitry Agarkov, de 42 anos, estava a abrir o seu correio, em 2008, quando encontrou uma carta do banco Rinkoff Credit Systems (TCS) com um contrato de um cartão de crédito que não tinha pedido.

Como achou um abuso, decidiu dar a provar ao banco o seu próprio veneno: Digitalizou o documento, escreveu novas condições mais favoráveis para o cliente e enviou de volta.

Se o banco não cumprisse alguma alínea do acordo, a instituição teria que pagar 3 milhões de rublos (68 mil euros) de indemnização e no caso de cancelar o contrato a compensação seria de 6 milhões de rublos (137 mil euros).

Curiosamente o banco aceitou as novas condições do contrato, que nem sequer terá lido, e enviou o cartão de crédito a Dmitry Agarkov. Mas dois anos depois, em 2010, o TCS cancela o contrato e em 2012 processa o cliente pelas alterações efetuadas no acordo.

Entretanto, o caso chegou aos tribunais e um juíz russo deu razão esta quinta-feira a Dmitry Agarkov, alegando que o banco aceitou o novo acordo e que desta forma o cliente terá apenas que pagar o saldo negativo do cartão.

Não satisfeito com a decisão, Argarkov resolveu avançar com um processo contra o banco TCS, por desrespeitar as condições do contrato. A instituição também apresentou uma queixa-crime contra o cliente por fraude.

“O banco confirma ter aceite os termos do cliente, tendo enviado o cartão de crédito e uma cópia do contrato”, sublinhou o advogado de Akarkov, citado pelo jornal “The Huffington Post”

Já o diretor-geral do TCS, Oleg Tinkov, escreveu no Twitter que a indemnização pedida é um “sonho” e que Dmitry Agarkov arrisca-se a uma pena de prisão de quatro anos por fraude.

O caso volta aos tribunais este mês.

Bem… uma coisa é certa: O cliente assina sem ler e fica desgraçado da vida… Um banco assina sem ler e processa o cliente.
Algo não está bem pois não? De qualquer das formas este senhor merece o nosso respeito! O que ele fez nunca ninguém teve coragem de o fazer. Espero honestamente que vença em tribunal. 🙂 E tu?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.