in

Idosa morreu aos 90 anos após recusar ventilador e dizer aos médicos: “guarde para os mais jovens”

Suzanne Hoylaerts, uma belga de 90 anos, morreu, depois de ceder um ventilador para salvar a vida dos mais jovens. Disse aos médicos que tinha tido “uma boa vida” e agradeceu-lhes terem “feito tudo o que podiam”.

A nonagenária faleceu a 21 de março, no hospital, após ter recusado ser posta em respiração assistida com recurso a um ventilador.

A viver em Lubbeek, a cerca de 50 km de Bruxelas, Suzanne Hoylaerts estava internada após o agravamento dos primeiros sintomas de infeção de Covid-19, que tinham surgido duas semanas antes.

Ao jornal belga “Het Laatste Nieuws”, a filha contou que a idosa já tinha estado internada o ano passado com uma pneumonia e que não a deixaram acompanhar a mãe desta vez nas Urgências.

“Não deves chorar”, foram as últimas palavras de Suzanne Hoylaerts para a filha que esteve em contacto telefónico permanente com os médicos do hospital. Foram eles que lhe contaram o gesto altruísta da progenitora.

Suzanne Hoylaerts disse aos médicos que não precisava de um ventilador porque tinha tido “uma boa vida”. “Guardem-no para os mais jovens”, pediu a mulher.

“Esta é a nossa mãe, sempre pronta a ajudar os outros”, reagiu a filha à história que se tornou um exemplo de heroicidade em todo o mundo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Sandra é um orangotango que aprendeu a lavar as mãos e fá-lo melhor que tu

Portugueses desenvolveram um ventilador 25 vezes mais barato do que o normal