in

Jornalista interrompe noticiário russo e faz apelo: “Não à guerra”

O gesto da jornalista russa Marina Ovsyannikova já se tornou viral e está a ser elogiado como um ato de coragem.

Marina Ovsyannikov, que é filha de pai ucraniano e mãe russa, tornou-se notícia em todo o mundo após ter interrompido o noticiário russo no canal de televisão estatal russo, Channel One, com uma mensagem contra a guerra na Ucrânia.

“Não à guerra! Parem a guerra! Não acreditem em propaganda! Eles estão a mentir-vos”, pode ler-se no cartaz que agarrou durante alguns segundos em frente à câmara, antes do canal começar a emitir uma reportagem para esconder as imagens em direto.

O Channel One é transmitido em toda a Rússia e segue a tese do Kremlin de que Moscovo foi forçado a agir na Ucrânia para desmilitarizar e “desnazificar” o país numa “operação militar especial”.

Entretanto o presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, agradeceu à jornalista: “Sou muito grato aos russos que não param de tentar transmitir a verdade, que lutam contra a desinformação”.

De acordo com a Fox 3 Now, a jornalista de 43 anos foi detida. A organização não governamental russa OVD-Info revelou que os advogados da associação de direitos humanos não conseguiram localizá-la desde que foi detida.

Antes de interromper o noticiário da noite, a jornalista gravou um vídeo onde considerou que o que está a acontecer na Ucrânia é um crime e que tinha vergonha de trabalhar para a propaganda do Kremlin.

Antes da conta do Twitter ter sido desativada, Marina tinha feito uma publicação na qual admitia que podia enfrentar uma pena de prisão entre os 5 e 10 anos.

Marina Ovsyannikova está desaparecida?

Após vários meios de comunicação indicarem que Marina estava desaparecida após a sua aparição no telejornal, o seu advogado tirou uma foto com a jornalista indicando que está bem e que o seu julgamento já está a decorrer.


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.